domingo, outubro 18, 2015

Sem Revisão


Estou pensando em você enquanto encaro o teto sob a minha cabeça. Não daquela forma que casais costumam pensar, não estou imaginando os filhos que poderíamos ter, caso os desejássemos, a casa que iremos hipotecar, nossa estante e o Total Flex na garagem. Estou pensando em como quero, nessa noite, tê-la entre os mesmos lençóis que me vestem, dividindo quase que simbioticamente a onda de calor que me cerca e deseja partilhar outro corpo.  Sinto o batom que mancha a minha boca, pescoço e barriga enquanto os meus dedos desvestem os cachos dos seus cabelos para encontrarem o seu sexo.

Uma fagulha risca o céu ao iniciar mais um domingo. A pele estala. São quatro horas da manhã.